Como cuidar da mama durante a amamentação

Como cuidar da mama durante a amamentação

Para as mães que optam por amamentar, a mama assume um significado totalmente novo. Deixa de ser só nossa (ou nossa e do nosso parceiro) e passa a ser a fonte de alimento, conforto e segurança do nosso pequeno.

Antes de engravidar eu achava que amamentar era algo de natural e primordial, e que bastaria uma boa dose de bons instintos e bom senso para que corresse tudo bem. Rapidamente percebi que não era bem assim.

Durante a gravidez, dediquei-me a pesquisar tudo o que podia sobre amamentação. Li livros, vi vídeos, fiz cursos e li imensos artigos online. Mesmo assim, quando a minha bebé nasceu, precisei de ajuda 😊 É normal! Cada bebé é um bebé, cada mama é uma mama, e é normal que precisemos de uma ajuda nas primeiras semanas para conseguir que tudo corra pelo melhor!

Deixo aqui as minhas principais dicas para quem está a embarcar neste mundo e que já sabe que gostaria de dar de mamar. Estas são as dicas que dou às minhas amigas mais próximas e a qualquer pessoa com quem fale sobre este assunto pessoalmente, mas que deixo aqui para si também!

Primeiro e antes que tudo: obtenha ajuda profissional

Não tenho forma de salientar o suficiente: procure encontrar ajuda profissional, ainda durante a gravidez e tenha um contacto "à mão" que a possa ajudar nas primeiras semanas, quando precisar.

No meu caso foi o Curso Preparar para Nascer, das Ervilhitas, em Faro, que me ajudou não só a ter algumas ferramentas práticas para abraçar este novo papel, mas também que me deu a conhecer os melhores profissionais que me ajudaram muito. Especialmente a Enfª Patricia, fundadora e coordenadora do curso, que foi quem me ajudou ainda na maternidade, e novamente quando a minha bebé tinha 2 semanas e me recebeu às 23h, em pleno estado de emergência, para me ajudar a corrigir a pega.

Mas pelo país fora existem várias pessoas que a podem ajudar. Recomendo que procure alguém verdadeiramente profissional e especialista na área (uma CAM - Conselheira em Aleitamento Materno, certificada), e que seja pró-amamentação (DICA: o Pediatra não é especialista em amamentação, a não ser que efetivamente tenha feito formação nessa área!).

Durante a gravidez: Informe-se bem

Já deve ter ouvido dizer que depois do bebé nascer toda a gente vai querer dar uma opinião. E essas opiniões nem sempre ajudam, pois acabam por afetar a nossa confiança e o nosso bem estar como recém-mamãs. Na amamentação não é exceção. O facto é que as pessoas são bem-intencionadas, mas acabam por fazer comentários que têm um impacto negativo, principalmente na amamentação. A única forma de combater esta situação é estar muito bem informada sobre este assunto.

Alguns recursos que recomendo:

No hospital: Aprenda posições de amamentação e a fazer uma boa pega

Antes de mais nada, antes do nascimento, informe-se se o hospital onde vai ter o bebé promove o Aleitamento Materno. A UNICEF desenvolveu uma iniciativa que facilita esta pesquisa, definindo os critérios para um "Hospital Amigo dos Bebés", e partilha inclusivamente uma lista destes hospitais em Portugal. Mas fale com a Maternidade onde pensa ter o bebé, peça para visitar e tente falar com as pessoas responsáveis da maternidade e coloque essa questão.

Inclua no seu plano de parto o seu desejo em amamentar. Se possível, aprenda sobre a Golden Hour e tente colocá-la em prática, pois vai-lhe dar um avanço para uma boa amamentação.

Leve apenas camisas de dormir abertas à frente (por exemplo, estas da La Redoute são uma óptima opção), mantenha o seu bebé de fralda e sem roupinha, tente não ter visitas no hospital e aposte muito em fazer pele-a-pele com o seu bebé.

Para além disso, não tenha vergonha em pedir ajuda às enfermeiras da maternidade em adaptar o bebé à mama e aprender a fazer e reconhecer uma boa pega. Elas podem também ajudar a perceber se o bebé está a fazer uma boa transferência de leite e a aprender boas posições básicas de amamentação. Estas são as ferramentas essenciais para se sentir mais segura de ir para casa com a garantia de que o seu bebé tem alimento garantido.

Se no hospital onde tiver o seu bebé não houver este tipo de ajuda, então volto a referir o ponto acima: ter uma CAM nos seus contactos para ajudar nas primeiras semanas é essencial. Até é provável que, mesmo que tenha tido ajuda no hospital, volte a precisar de ajuda. E nesse caso a CAM é a pessoa mais indicada para ajudar.

Cuidados a ter com os mamilos

Por fim, mas não menos importante, terá que saber cuidar da mama e dos mamilos. Nas primeiras semanas é normal sentirmo-nos assoberbadas e só termos olhos para o bebé, mas tente-se lembrar que cuidar da sua mama também é cuidar do seu bebé. Porque se tiver problemas com a mama, o bebé poderá ter a sua alimentação (e a sua principal fonte de consolo) comprometida.

O que mais recomendo é a utilização de Mamilos ou Discos de Amamentação de Prata, logo a partir do primeiro dia! Os mamilos de prata ajudam a acelerar o processo natural de cura do mamilo sensível, aliviam a dor num curto espaço de tempo e protegem os seus mamilos. São também reutilizáveis e sustentáveis, ao contrário de outros sistemas que tem que estar sempre a comprar e descartar (hidrogel ou pomadas).


Obrigada e até breve,

Mais postagens